Gasin Médica Gasin Médica - Gases medicinais

Protóxido de azoto medicinal

O protóxido de azoto é um gás incolor, com odor e sabor adocicado. É oxidante mas não inflamável, ainda que, a altas temperaturas, se descomponha em O2 e possa manter a combustão. Não é tóxico, mas, através do movimento do ar, pode provocar respiração acelerada, enjoo e, inclusive, asfixia. Obtém-se através da decomposição térmica do nitrato de amónio ou da hidroxilamina.

Em conformidade com as especificações da Farmacopeia Europeia.

Aplicações

As principais aplicações do protóxido de azoto são a anestesia e a analgesia, durante os processos operatórios ou para aliviar a dor do paciente.

Segurança

Recomenda-se a observação das normas vigentes para o manuseamento e armazenamento de gases, no geral, e de protóxido de azoto medicinal, em particular.

As fichas de segurança contêm toda a informação relativamente à substância a que se referem, respetivas propriedades, riscos e formas de manuseamento, armazenamento e transporte.

Identificação da garrafa

Em conformidade com a norma europeia de codificação: garrafa preta; ogiva branca; azul forte.

 

 

Bula

A bula é a informação escrita que acompanha o medicamento, dirigida ao consumidor ou utilizador. Na bula identifica-se o titular da autorização e, sempre que relevante, o fabricante e a respetiva composição. São também fornecidas instruções para a administração, utilização e preservação, bem como os efeitos negativos, interações, contraindicações e restantes dados com a finalidade de possibilitar a utilização mais correta e a observância do tratamento recomendado, bem como as medidas a adotar em caso de intoxicação. A bula é o folheto informativo que acompanha o medicamento. Segundo a norma europeia, todos os medicamentos devem ser acompanhados obrigatoriamente por uma bula, salvo quando toda a informação exigida conste diretamente na embalagem. Em qualquer caso, a bula deve registar a informação básica do medicamento.